quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Minha Irmã e Eu – O Jogo Sacana

Fiquei incumbido de cuidar de minha irmãzinha enquanto meus pais foram visitar minha Avó. Era um dia chuvoso de Sábado, eu descia as escadas chegando à sala e colocando a cortina de lado espiava o mundo exterior, era só água descendo do céu. Sentei-me no sofá e fiquei contemplando minha irmã deitada no sofá, estava bem à vontade, de blusinha branca de alcinha, calcinha da pucca e meia rosa aqueles pezinhos gostosos. Minha irmã já estava bem grandinha e formosa. Lembro-me muito bem do dia que a vi se masturbando em frente ao PC daqui de casa no meu quarto! Depois deste dia tudo mudou. Foi então que chamei Gabriela para jogar o jogo da sorte, havia inventado aquilo naquele instante, prontamente ela aceitou dizendo que a TV estava muito chata mesmo. Sentei-me no carpete da sala cruzando as pernas e Gabi veio e sentou-me no meu colo, formando uma flor de lótus. Sempre fomos muito próximos e por isto sentar no meu colo era algo comum, porém mal ela sabia que minha mente era pura maldade naquele momento. O jogo seria o seguinte, ela teria que escolher uma carta entre três, eu ira embaralhá-las no chão e ela teria que adivinhar em que posição sua carta estaria, caso acertasse eu teria que pagar um castigo e caso errasse ela pagaria um castigo. Ela aceitou então começamos o jogo, ela escolheu 10 de paus.
Com a minha mão vendei seus olhos e aproveitei para espiar os peitinhos da maninha no decote da blusinha enquanto embaralhava as cartas no chão. Desvendei seus olhos e pedi para tentar a sorte, ela ria, se mexia toda em meu colo roçando sua bunda no meu pau que estava crescendo, eu vestia um short, camiseta regata e uma cueca boxer branca. Então ela virou uma carta e para meu azar ela acertou!! Ela ria muito da minha cara, encostava seu corpo no meu, se rachando de rir. Colocando o dedinho na boquinha ela fez uma carinha de sapeca me olhando, até que falou “quero que tire sua camiseta maninho”, uhmmm, o jogo parecia mais interessante do que eu pensava, principalmente ao notar o olhar da maninha em meu peitoral. Segunda rodada ela escolheu o três de ouros, embaralho as cartas e mando a tirar a sorte novamente. Pela segunda vez ela acerta! Sorte de principiante. Ela tirava muito sarro de mim. Gabi me pediu para tirar o short. Bom era o jogo né, então tive que fazer (RS...). Levantei-me e fui abaixando o short, exibindo o grande volume que meu pau exercia em minha boxer. Era evidente o olhar de minha irmã para o meu pau, mas me contive fingindo não estar na maldade. Voltamos para a mesma posição agora sentindo mais gostoso a bunda de minha irmã sob meu pau, fizemos uma nova rodada e trapaceando consegui ganhar minha primeira rodada e pedi para minha irmã tirar sua blusinha. Ela se ajoelhou no carpete na minha frente, vi suas bochechas ficando vermelhas, olhou pra mim depois abaixou a cabeça e foi tirando sua blusinha. Que peitinhos lindos minha irmãzinha tinha, pequenos mais apetitosos, seus biquinhos estavam pontudos denunciando sua excitação o que me deixou louco, mas me segurei. Gabi não voltou a sentar no meu colo e ficou sentada sob suas pernas na minha frente. Iniciamos a quarta rodada, não tampando muito bem seus olhos a deixando ver onde estaria a carta deixei-a ganhar aquela rodada. E como planejado ela ganhou e o sorriso voltou aos seus lábios e de uma maneira bem sacana ela dizia “pode ir tirando a cuequinha maninho”, sorrindo eu disse “tudo bem” e sentei no sofá e fui puxando minha cueca a tirei e ainda joguei pra ela. Minha irmã olhava minha rola, era muito gostoso provocá-la sentir e sua excitação. Voltei a sentar no carpete com as pernas cruzas e meu pau enrijecido apontava pra ela, que sempre dava um jeitinho de olhá-lo. Quinta rodada, voltando a deixá-la ganhar por curiosidade e a moleca sorrindo tirou a meia de um de seus pezinhos apoio os braços pra trás e esticou o pezinho no ar e disse “seja meu servo lambendo meus pés”, uhmmm, não sei o que ela pensava, mas ela acabava de realizar um grande desejo meu. Então me pus a chupar aquele pezinho todo, cada dedinho dele, mordia-o, me deliciava com ele. Sexta e última rodada, eu ganhei! Encostei-me no sofá a olhando e ria sarcasticamente, ela voltou a fazer uma carinha inocente de coitadinha, mas que não durou nem um minuto, pois ela também começou a rir da situação. Então eu disse maninha “quero que chupe meu pau”, ela ficou vermelhinha, mas sorria com seu jeitinho moleca. Gabi veio engatinhando como uma gatinha safada segurou meu pau em sua mãozinha e se pôs a chupá-lo, uhmm que delicia, ela chupava e me punhetava ao mesmo tempo, a danada aprendeu muito bem com os vídeos que assistia no meu PC, no mínimo andou treinando. Depois de chupar bastante; sua boca subia beijando e mordendo meu abdômen, meu peitoral até que sentou sob uma perna minha, olhou nos meus olhos, suas mãos acariciaram meu rosto e sua boca foi chegando perto da minha até nos beijarmos. Minha irmã simplesmente tinha o beijo, a boca mais gostosa que já provei. Enquanto a beijava eu coloquei sua calcinha de lado e seguia estocando dedos na sua xaninha, ela passou a gemer ao pé do meu ouvido quando as estocadas passaram a ficar mais intensas, sua xaninha estava ensopada. Gabi entregou em minha boca um de seus peitinhos e eu mamava, mordia-o levemente, depois fazia o mesmo o com outro e sem parar de estocar os dedos na sua menina até que a fiz gozar neles. Ela ficou molinha se segurando em mim, ofegante, mas ao pé do meu ouvido ”me fode irmãozinho, me fode bem gostoso”. Gabi abriu mais suas perninhas ajeitei minha rola na sua xaninha e ela logo começou a descer, sentando gostoso. Depois de meu pau entrar até o talo ela ficou rebolando e curtindo minha rola e depois começou a subir e descer, cavalgando e gemendo, que delícia! Foi ai que veio a carta coringa, meus pais chegaram!! Ouvi o carro encostando-se a frente de casa, tentei sair, mas minha irmã me travou de tal maneira que parecia que ia partir meu pau, ela estava louca! Aquilo acabou me excitando mais também. Então tampei sua boca e segui estocando ao mesmo tempo em que ela cavalgava, deixando a coisa bruta e intensa, eu mordia os biquinhos de seus peitinhos enquanto já ouvia o carro entrar na garagem. E assim foi até que gozamos juntos !! Na hora que gozamos nos agarramos num beijo muito quente de uns 30segs e então ela pegou sua calcinha e saiu correndo abaixada entrando no banheiro, espertinha RS ... Eu vesti toda minha roupa ali deitado no carpete e depois fui recepcionar meus pais que entravam como de comum pela porta dos fundos de casa. Ficamos conversando na cozinha, depois minha irmã apareceu e eu a olhava sedento de vontade de pegá-la e come-la ali em cima da mesa da cozinha e pelo seu olhar safado, era exatamente o que ela queria RS ... Espero que tenham gostado do meu relato, depois desta vez eu e minha irmãzinha aprontamos várias e várias vezes, talvez volte a contar mais algum episódio a vocês.

0 comentários:

Envie Seu Conto

Envie seu conto para o nosso email:
sexcontos@gmail.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios